Autor: Daisy Lima

Dados clínicos:

Mulher de 54 anos de idade apresentando ao ultrassom dois nódulos na mama esquerda, “às 2 horas” com aspecto microlobulado e o outro localizado “às 3 horas” mostrando-se circunscrito.

Material e métodos:

Foi realizada punção aspirativa com agulha fina (agulha de calibre 23 G) guiada pela ultrassonografia, dos dois nódulos referidos acima. Do material obtido foram confeccionados vários esfregaços, fixados imediatamente em etanol absoluto e corados posteriormente pelo Papanicolaou.

Imagens microscópicas:

Papanicolaou, 400x. Padrão arquitetural cribriforme.

 

Papanicolaou, 400x. Células com citoplasma escasso, mal delimitado, núcleos redondos ou ovalados, com cromatina finamente granular e nucléolo proeminente.

 

Papanicolaou, 400x. Estruturas glanduliformes contendo material denso em seu lúmen.

 

Papanicoloau, 100x. Celularidade abundante. Ccélulas entremeadas por material denso, homogêneo.

 

Papanicolaou, 400x. Depósitos esféricos de material denso, homogêneo, circundados por células basalóides.

 

Papanicolaou, 400x. Depósitos de material denso, homogêneo, circundados por células basalóides.

 

Papanicolaou, 100x. Adensamentos de material homogêneo, esféricos, entre os elementos celulares.

 

Papanicolaou, 100x. Padrão arquitetural cribriforme.

Descrição microscópica:

Os esfregaços são hemorrágicos. Há numerosas células pequenas, exibindo citoplasma delicado, mal delimitado, núcleos redondos ou ovais, com elevada relação núcleo/citoplasmática, com bordas regulares, exibindo cromatina finamente granular e frequente nucléolo central. Estas células são distribuídas em ninhos tridimensionais e predominantemente em conjuntos glanduliformes que como um todo conferem um padrão arquitetural cribriforme.  No lúmen de vários arranjos glanduliformes se evidencia material eosinofílico, denso, homogêneo, bem demarcado (glóbulos hialinos). Em algumas ocasiões tal material se apresenta condensado em colunas.

Diagnóstico citológico:

Carcinoma adenóide cístico.

Imagens microscópicas (histopatológico):

HE, 100x

 

HE, 400x

Diagnóstico histopatológico:

Carcinoma adenóide cístico

Correspondia a dois tumores, o maior com 1,5 cm e o menor medindo 1,2 cm, independentes, no mesmo quadrante (multicêntricos), com margens livres.

Avaliação imunohistoquímica (fatores prognósticos):

CK 7

 

p 53

  • Receptor de estrogênio fracamente positivo – 1 a 10%
  • Receptor de progesterona: negativo
  • Proteína HER-2/NEU (C-erbB- 2): negativo
  • KI-67: positivo (15%)

Comentários:

O carcinoma adenóide cístico é uma neoplasia maligna rara da mama, correspondendo a menos de 1% dos cânceres de mama. É morfologicamente idêntico àqueles que são primários das glândulas salivares. Na mama, o tumor ocorre em uma ampla faixa tária entre 34-75 anos, podendo acometer indivíduos do sexo masculino.  A sua localização mais frequente é a região subareolar e o tamanho do tumor varia de poucos milímetros a 12 cm de diâmetro, com média de 2,2 cm. Macroscopicamente a lesão é bem definida, cinza ou amarelada, raramente sendo observadas áreas císticas. À microscopia, caracteriza-se pela proliferação de células de aparência pouco atípica em arranjos sólidos, cribriformes, tubulares e trabeculares. O diagnóstico diferencial compreende esferulose colagenosa, carcinoma intraductal padrão cribriforme e menos comumente carcinoma lobular. A avaliação imunohistoquistoquímica pode ser utilizada nos casos de dificuldade diagnóstica. A dupla população do tumor é confirmada pela positividade das células epiteliais pelos marcadores pankeratina, CK7 e CK9, CEA e EMA. As células mioepiteliais são reagentes para citoqueratinas basais como CK5 e CK17, vimentina, actina músculo específica, miosina, p63, actina músculo liso e calponina. O Carcinoma adenoide cístico e fequentemente triplo negativo significando que as células não expressam o receptor estrogênico, receptor de progesterona ou receptor HER 2. Mesmo sendo triplo negativo o caracinoma adenoide cístico geralmente não se dissemina para os linfonodos, são mais responsivos ao tratamento e podem ter um melhor prognostico que os tipos mais comuns de carcinoma ductal. É interessante observar que o carcinoma adenoide cístico da mama tem comportamento indolente e bom prognostico, diferentemente do mesmo tumor que ocorre em glândula salivar, onde é agressivo e associado a pobre prognóstico.

Histopatológicoo, HE, 100x. Diagnóstico diferencial: carcinoma intraductal cribriforme

 

Esfregaço citológico, Papanicolaou, 100x. Diagnóstico diferencial: esferulose colagenosa

 

Esfregaço citológico, Papanicolaou, 400x. Diagnóstico diferencial: carcinoma lobular

 

Esfregaço citológico, Papanicolaou, 400x. Diagnóstico diferencial: adenoma pleomórfico.